Você está visualizando atualmente Pacotinhos de Emoção

Pacotinhos de Emoção

O primeiro álbum de figurinhas a ser lançado no mundo foi o álbum da Copa do mundo de 1950, sediada no Brasil. De lá para cá a moda pegou e inúmeras edições de álbum já foram lançadas, não somente de Copa do Mundo, mas de campeonatos entre clubes. Escolas de futebol já lançaram os seus, inclusive na Associação Sabesp Escola de Futebol também vivenciamos o lançamento de um álbum exclusivo de alunos em 2019. Com absoluta certeza afirmo que o álbum de figurinhas é uma invenção absolutamente interessante e de grande influência para a socialização, aprendizado e emoção aos envolvidos.

São muitos álbuns relevantes e de grande interesse público, entretanto, nenhum compete com o álbum da Copa do Mundo. Tradicionalmente observamos que a Copa traz consigo costumes que levamos desde crianças: pintar as ruas das cores do Brasil; as discussões sobre os jogadores convocados; as vinhetas da Globo com a voz do Galvão Bueno; as negociações no trabalho para os jogos do Brasil. O álbum também é um costume muito forte e muito esperado por todos.

Embora eu tenha mais de 20 anos de carreira trabalhando com futebol, confesso que nunca me interessei diretamente em colecionar álbuns da Copa. O mais perto que cheguei foi com o álbum da Associação Sabesp em 2019 ao qual citei acima. Foi muito legal acompanhar os familiares e alunos naquela expectativa de sair com o filho ou com um amigo querido. Emoção maior era sair com as figurinhas lendárias dos professores. Este ano criei um interesse maior por meu filho, com seis anos, já ter idade de entender a situação e se envolver, mas os valores para completar o álbum não me animaram. Felizmente minha esposa insistiu e acabamos comprando um álbum para tentar completar.

Como toda esposa faz, foi uma decisão muito sábia, rsrs. Meu filho se envolveu de uma forma tão pura e contagiante que, esta semana ao completarmos o álbum, nos deu uma mistura de sentimentos entre a alegria em completar e a frustração da brincadeira acabar. Ele ficou fissurado, conhecendo os craques, aprendendo a trocar e a bater bafão. Foi uma riqueza de socialização e integração que valor nenhum paga. Conhecer os estádios a cada figurinha, sair com CR7 e Messi, disputar as figurinhas douradas, entender de geografia através dos países, beber Coca Zero kkkkk.

E quando conseguiu a figurinha lendária do Neymar de bronze?

Foi uma emoção quase próxima de comemorar um título de uma própria Copa do Mundo, sensação essa que espero que tenha pela primeira vez este ano com o Hexa.

Assim como o álbum é um instrumento de adquirir conhecimento, é uma relíquia que ficará guardada pelo resto da vida na gaveta do guarda roupa e dentro do coração.

Subscribe
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários